Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

Nas Asas da Poesia – Muda, Mudança

Amiúde quer que mude este mundo em sobressalto Eu sem virtude nem saúde prá corrida nesse asfalto   Muda a Língua faz-se míngua e eu errando a toda a hora É a Língua feita muda quão sisuda está, Senhora!   É o clima lá por cima a mudar obstinado Minha sina gabardina e o sol… Continue reading Nas Asas da Poesia – Muda, Mudança

Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

Nas Asas da Poesia – A Paisagem Mudou

A temperatura desce Os dias ficam pequenos Mais roupa acresce Nos nossos quotidianos.   A chuva aparece As folhas caem O verão desvanece Menos as pessoas saem.   As cores mudam. Alteram-se os cheiros. As bebidas fumegam, Nos fugazes encontros.   Época das castanhas, Das avelãs e nozes, Do sofá cheio de mantas, De apetite… Continue reading Nas Asas da Poesia – A Paisagem Mudou

Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

Nas Asas da Poesia – Outono

Muda a cor, muda a paisagem Muda o cheiro e muda o som Vemos mudar a folhagem Porque o outono chegou.   Sopra o vento, caem folhas A paisagem a mudar E a chuva que nos molha Cai para nos encontrar.   Vemos aves a partir Em famosas migrações Voam juntas a fugir Das rigorosas… Continue reading Nas Asas da Poesia – Outono

Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

Nas Asas da Poesia – Outrono

Caem castanhas no meu sono Perante o céu frio do gueto Descansa o cadeirão outrono Pinturas em pastel seco   Arqueio mil arco íris Do nevoeiro da fogueira Prenda do primo Osíris Um copinho d´uva lameira   Em passadas caducas O Sol acolhe o serão Estaladiças não são frutas Sementes deste verão   As cores… Continue reading Nas Asas da Poesia – Outrono

Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

Nas Asas da Poesia – Outono

Tiraste-me o sono, roubaste o que penso, tornaste-me Outono, neblina que adenso   Levaste a esperança e as poucas certezas, cobraste a fiança das tuas tristezas   Fui alvo na mira do teu sofrimento, teu canto de lira perdeu-se no vento   As folhas caindo são sal que te choro, Outono despindo a dor que… Continue reading Nas Asas da Poesia – Outono

Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

Nas Asas da Poesia – Férias dois dias por semana

Esta vida é boa, Ninguém o pode negar, Mas o tempo voa, Quando se está a descansar.   Sábado vem devagar, Segunda chega a correr, Mal consigo respirar, Parece que estou a morrer.   Tempo curto p’ra recuperar, De tantas horas trabalhar, Tudo tem que ser contado, É este o meu querido fado.   Hoje… Continue reading Nas Asas da Poesia – Férias dois dias por semana

Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

Nas Asas da Poesia – Férias

São momentos ansiados Por todos quantos trabalham Esses dias esperados Que nunca nos atrapalham.   Seja no calor do verão Ou durante o frio inverno São de uma só intenção Fugir dos dias de inferno.   São momentos merecidos Depois de toda a luta Quando estamos vencidos Pelos dias de labuta.   Fugir da confusão… Continue reading Nas Asas da Poesia – Férias

Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

Nas Asas da Poesia – Férias

O sol põe-se, novamente, Mais um dia vou contar Nesta contagem decrescente Para, por fim, descansar.   As férias vão-se aproximando Não sei onde m’irão levar Mas já vivo imaginando O dia em que as verei chegar.   Serra, praia, sol e mar Estrangeiro ou Portugal Muito há que planear Para que seja especial.  … Continue reading Nas Asas da Poesia – Férias

Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

Nas Asas da Poesia – Todos lhes chamamos férias

Todos os anos é igual Escolher e tudo planear Para nada correr mal Para poder viajar.   Todos lhes chamamos férias Altura para descansar E de muitas novas histórias Para mais  tarde revelar.   A cidade dos canais A dos Deuses do Olimpo Mares cheios de corais Num planeta tão distinto.   Civilizações antigas Um… Continue reading Nas Asas da Poesia – Todos lhes chamamos férias

Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

Nas Asas da Poesia – Nascer da aurora

Recarrego as minhas baterias Nas recordações de uma viagem E em todas as noites frias Me lembro da mesma paisagem.   Uma chama acolhedora Numa fogueira quase apagada Assistia ao nascer da aurora Uma família no chão sentada.   Tamanha era a felicidade Que a todos nos arrebatava E, ainda há pouco, com saudade Aqueles… Continue reading Nas Asas da Poesia – Nascer da aurora