Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

A Transformação do Oceano – Canto I

Era uma vez um oceano que tinha secado E num imenso deserto se havia tornado E, a cada momento, ousava sonhar Com um passado ao qual desejava voltar.   O sol lá bem alto no céu a brilhar, O calor que tudo conseguiu secar E a chuva que não mais se viu a cair Tiraram-lhe… Continue reading A Transformação do Oceano – Canto I

Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

Era uma vez um anão gigante – Canto II

Canto I   Era uma vez um anão que tinha sonhos gigantes. Mesmo desperto sonhava coisas tão exuberantes Que a vizinhança o dizia meio homem, meio tolo, Pão mal cozido na côdea e claro está, no miolo.   Pois era tão desmedido na fome de o mundo ver Que o seu olhar se parecia com… Continue reading Era uma vez um anão gigante – Canto II

Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

A Lenda – Canto III

Canto I Era uma vez… o vazio, Uma vasta imensidão negra e oca Sem ganância, nem fastio, Sem repugnância, nem estio, Sem a humanidade louca Presa por um fio, Apenas… frio.   Frio, pois o vazio sem estio nunca ouviu que se podia aquecer, Sem saber, pudera jamais perceber o quão bem sabe o calor,… Continue reading A Lenda – Canto III

Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

Nas Asas da Poesia – A vida é feita de mudanças

A vida é feita de mudanças Que nos vêm transformar E só deixam as lembranças Do que já não vai voltar.   Há histórias que acabam Para outras começar E lugares que te marcaram, Mas que tens que abandonar.   E o dia, que desperta, Traz o sol que acordou E uma saudade, que aperta,… Continue reading Nas Asas da Poesia – A vida é feita de mudanças

Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

Nas Asas da Poesia – Outono

Muda a cor, muda a paisagem Muda o cheiro e muda o som Vemos mudar a folhagem Porque o outono chegou.   Sopra o vento, caem folhas A paisagem a mudar E a chuva que nos molha Cai para nos encontrar.   Vemos aves a partir Em famosas migrações Voam juntas a fugir Das rigorosas… Continue reading Nas Asas da Poesia – Outono

Ambiente & Cidadania, Artes & Cultura

Implantação da República

A 5 de Outubro de 1910, pelas 11 horas, foi proclamada a República Portuguesa das janelas da Câmara Municipal de Lisboa, mas…como se chegou a esse momento? Republicanismo em Portugal A propaganda republicana, em Portugal, começou no final dos anos 30 do século XIX, mas foi na década de 70 que, influenciada pela Terceira República… Continue reading Implantação da República

Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

Nas Asas da Poesia – Férias

O sol põe-se, novamente, Mais um dia vou contar Nesta contagem decrescente Para, por fim, descansar.   As férias vão-se aproximando Não sei onde m’irão levar Mas já vivo imaginando O dia em que as verei chegar.   Serra, praia, sol e mar Estrangeiro ou Portugal Muito há que planear Para que seja especial.  … Continue reading Nas Asas da Poesia – Férias

Ambiente & Cidadania

António Arnaut

António Arnaut, nascido a 28 de Janeiro de 1936, na aldeia da Cumeeira, concelho de Penela (Coimbra), morreu em Coimbra no passado dia 21 de Maio, aos 82 anos. De origens humildes, licenciou-se em direito, na Universidade de Coimbra em 1959, tendo tido, desde cedo, uma participação activa na vida pública. António Duarte Arnaut foi… Continue reading António Arnaut

Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

Nas Asas da Poesia – Quantas viagens eu faço?

Quantas viagens eu faço, Mesmo sem me deslocar? Viajo no tempo e no espaço Para me poder encontrar.   Viajo na minha mente Num labirinto sem fim E percebo, de repente, Que a vida me sorri.   Alegrias e tristezas Encontro em cada viagem E um mundo de incertezas Trago na minha bagagem.   Cada… Continue reading Nas Asas da Poesia – Quantas viagens eu faço?

Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

Nas Asas da Poesia – A Verdade da Mentira

A verdade e a mentira São apenas ilusões, Uma frase proferida Em diferentes situações.   Quantas mentiras de outrora Não foram senão verdade, Quantas verdades de agora Não mentimos com saudade.   Quanta mentira sincera Da nossa boca ecoou, Quanta verdade que era Mas o tempo transformou.   Quantas verdades mentidas, Quantas mentiras reais, Quantas… Continue reading Nas Asas da Poesia – A Verdade da Mentira