Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

Era uma vez um anão gigante – Canto I

Canto I Era uma vez um anão que tinha sonhos gigantes. Mesmo desperto sonhava coisas tão exuberantes Que a vizinhança o dizia meio homem, meio tolo, Pão mal cozido na côdea e claro está, no miolo.   Pois era tão desmedido na fome de o mundo ver Que o seu olhar se parecia com aquela… Continue reading Era uma vez um anão gigante – Canto I

Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

A Lenda – Canto IV

Canto I Era uma vez… o vazio, Uma vasta imensidão negra e oca Sem ganância, nem fastio, Sem repugnância, nem estio, Sem a humanidade louca Presa por um fio, Apenas… frio.   Frio, pois o vazio sem estio nunca ouviu que se podia aquecer, Sem saber, pudera jamais perceber o quão bem sabe o calor,… Continue reading A Lenda – Canto IV

Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

A Lenda – Canto III

Canto I Era uma vez… o vazio, Uma vasta imensidão negra e oca Sem ganância, nem fastio, Sem repugnância, nem estio, Sem a humanidade louca Presa por um fio, Apenas… frio.   Frio, pois o vazio sem estio nunca ouviu que se podia aquecer, Sem saber, pudera jamais perceber o quão bem sabe o calor,… Continue reading A Lenda – Canto III

Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

A Lenda – Canto II

Canto I Era uma vez… o vazio, Uma vasta imensidão negra e oca Sem ganância, nem fastio, Sem repugnância, nem estio, Sem a humanidade louca Presa por um fio, Apenas… frio.   Frio, pois o vazio sem estio nunca ouviu que se podia aquecer, Sem saber, pudera jamais perceber o quão bem sabe o calor,… Continue reading A Lenda – Canto II

Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

A Lenda – Canto I

Era uma vez… o vazio, Uma vasta imensidão negra e oca Sem ganância, nem fastio, Sem repugnância, nem estio, Sem a humanidade louca Presa por um fio, Apenas… frio.   Frio, pois o vazio sem estio nunca ouviu que se podia aquecer, Sem saber, pudera jamais perceber o quão bem sabe o calor, O calor… Continue reading A Lenda – Canto I

Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

Nas Asas da Poesia – A vida é feita de mudanças

A vida é feita de mudanças Que nos vêm transformar E só deixam as lembranças Do que já não vai voltar.   Há histórias que acabam Para outras começar E lugares que te marcaram, Mas que tens que abandonar.   E o dia, que desperta, Traz o sol que acordou E uma saudade, que aperta,… Continue reading Nas Asas da Poesia – A vida é feita de mudanças

Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

Nas Asas da Poesia – Muda, Mudança

Amiúde quer que mude este mundo em sobressalto Eu sem virtude nem saúde prá corrida nesse asfalto   Muda a Língua faz-se míngua e eu errando a toda a hora É a Língua feita muda quão sisuda está, Senhora!   É o clima lá por cima a mudar obstinado Minha sina gabardina e o sol… Continue reading Nas Asas da Poesia – Muda, Mudança

Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

Nas Asas da Poesia – A Paisagem Mudou

A temperatura desce Os dias ficam pequenos Mais roupa acresce Nos nossos quotidianos.   A chuva aparece As folhas caem O verão desvanece Menos as pessoas saem.   As cores mudam. Alteram-se os cheiros. As bebidas fumegam, Nos fugazes encontros.   Época das castanhas, Das avelãs e nozes, Do sofá cheio de mantas, De apetite… Continue reading Nas Asas da Poesia – A Paisagem Mudou

Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

Nas Asas da Poesia – Outono

Muda a cor, muda a paisagem Muda o cheiro e muda o som Vemos mudar a folhagem Porque o outono chegou.   Sopra o vento, caem folhas A paisagem a mudar E a chuva que nos molha Cai para nos encontrar.   Vemos aves a partir Em famosas migrações Voam juntas a fugir Das rigorosas… Continue reading Nas Asas da Poesia – Outono

Artes & Cultura, Nas Asas da Poesia, Rubricas

Nas Asas da Poesia – Outrono

Caem castanhas no meu sono Perante o céu frio do gueto Descansa o cadeirão outrono Pinturas em pastel seco   Arqueio mil arco íris Do nevoeiro da fogueira Prenda do primo Osíris Um copinho d´uva lameira   Em passadas caducas O Sol acolhe o serão Estaladiças não são frutas Sementes deste verão   As cores… Continue reading Nas Asas da Poesia – Outrono